Novidades na actividade de treinador de desporto

Publicado em


No dia 31 de Dezembro foi publicado em Diário da República o Decreto-Lei n.º 248-A/2008 que estabelece o regime de acesso e exercício da actividade de treinador de desporto.
Aqui é definido o enquadramento técnico e principalmente são estabelecidas as habilitações profissionais.

Foi(vai ser) criada a “Cédula de Treinador de Desporto” com 4 graus (níveis) de qualificação.

Será agora que os “carolas” ficam fora? Como vai ser com os clubes amadores? Cabe às Federações desportivas aproveitarem o regime transitório e formarem… é necessário formação já.

Anúncios

3 opiniões sobre “Novidades na actividade de treinador de desporto

    Jorge Faria disse:
    Janeiro 6, 2009 às 1:22 pm

    Boas
    primeiro, como meu primeiro comentário no blog, gostaria de o felicitar pela iniciativa.

    Quanto ao tema… “Será agora que os “carolas” ficam fora? Como vai ser com os clubes amadores?”
    Ora bem… só é “carola” quem quer, os cursos de acesso à actividade de treinador são acessíveis. Por muito que custe pagar 600€ (e custa, a mim custou-me) por um nível I não deixa de ser um preço acessível, mesmo diluído numa só época.
    Deixando de parte a questão preço… tenho numa equipa de Infantis 2 miúdos com problemas articulares nos joelhos e tenho mais 2 que volta e meia se lesionam nessa zona. Não sendo eu alguém que exige demasiado em termos físicos ou articulares (tento colocar bola em tudo o que faço e não faço cargas excessivas) e tendo em conta que esses problemas já eram comuns na época passada com outro treinador pergunto… não será que alguém “exigiu” mais em termos físicos e articulares do que devia aqueles miúdos?
    Outro exemplo, o meu filho, de 8 anos, levava cargas físicas que metiam dó (ele e outros miúdos chegavam ao ponto de chorarem nos treinos por não poderem mais). Como estava a treinar outro escalão não me queria intrometer no trabalho de um colega e fui deixando andar até que um dia tive de dizer “basta”… e bastou uma conversa e alguns elementos de literatura para o treinador perceber o (mal) que estava a fazer, nem sequer foi necessário entrar em conflito.
    Tenho muitos mais exemplos de pessoas sem formação, ainda que básica, que podem até vencer campeonatos mas não formam miúdos para o futebol e muito menos ajudam na sua saúde a longo prazo. Curiosamente, ou não, não conheço nenhum que seja mais “carola” que eu. Presentemente tenho 2 escalões (infantis fut 7 só, júniores acompanhado), vou para muitos jogos no meu carro, chego ao campo às 18.30, saio depois das 21.45, todos dias, nem sequer sou era adepto do clube até agora… no entanto sou o mais “carola” de todos os que lá andam, incluindo uma boa quantidade de treinadores em formação.

    Sou por isso completamente a favor de uma regulamentação adequada, sou também a favor de uma reformulação completa dos “cursos” de treinadores, que não passam de uma palhaçada de faz de conta (pelo menos nível I, não indo mais longe).
    Da mesma forma que não aceitaria que o meu filho fosse ensinado na escola por alguém não qualificado, da mesma forma que quando estou doente, tenho problemas jurídicos ou até pequenos problemas domésticos me dirijo a um profissional adequado penso que trabalhar com miúdos, futebol ou outra qualquer modalidade, é demasiado importante para ser deixado a alguém que não tem formação (mesmo aquela a que chamei palhaçada, pelo menos aprende-se muito do “como não fazer”)…

    Luís respondido:
    Janeiro 6, 2009 às 2:32 pm

    Caro Jorge Faria, concordo com a sua opinião a 100%.
    A colocação da questão (carolas) só tinha mesmo esse objectivo, o de questionar a carolice em geral, que é útil mas só não chega.

    Alexandre Teixeira disse:
    Abril 11, 2010 às 11:24 pm

    O problema da formação, já vem de há muito tempo e é por exemplos que referiram anteriormente que era urgente regulamentar e exigir formação aos treinadores das diversas modalidades.
    O mais comuns é treinar-se mal nas camadas mais jovens, pois muitos dos treinadores são ex-jogadores, e os treinos que aplicam aos jovens são aqueles que receberam enquanto seniores, não olhando para o volume, carga e idade os intervenientes.
    Por estes factores, estou de acordo que obriguem os treinadores a terem formação, principalmente quem treina camadas mais jovens.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s